arquivo | Opinião Feed RSS desta secção

Let’s Plays e Multi-watching

Houve uma game jam há poucas semanas atrás no site da GameJolt, chamada “Indies vs PewDiePie”, que teve 776 participantes; cerca de meio mês antes, houve outra game jam no mesmo site, chamado “Asylum Jam” que teve 49 participantes.   A Ludum Dare fez duas jams há pouquíssimos dias, uma que teve 1365 participantes e […]

Continuar a ler

14 indies para oferecer no Natal

Segunda parte Depois de termos mostrado os sete primeiros jogos provenientes da curadoria do Indie MegaBooth na primeira parte do artigo, resta-nos deixar-vos as sete últimas sugestões para este Natal indie. São sete jogos desconhecidos, sorrateiros e mortalmente divertidos.   Stronghold Crusader II Doze anos depois do lançamento do RTS que pôs muita gente pelo […]

Continuar a ler

Hatred e “Ah São Pixéis”

O argumento sempre foi “ah são pixéis”; do que é que estou a falar? A série GTA, por exemplo, que sempre teve controvérsia à sua volta, e gente frustrada não só pela sua existência, mas sobretudo pela sua extrema popularidade, quer por questões morais, ideológicas, culturais – gente de todos os tipos, desde Vice City, […]

Continuar a ler

14 Indies para oferecer de prenda de Natal

Primeira parte É mais do que público que a Galinha tem um carinho muito especial pelo mercado indie. E não digo apenas aquele carinho da moda, em que é cool e hipster gostar-se do mercado independente e só se conhece, na prática, os títulos mais famosos. Todos sabem que a Galinha debica imenso a terra, […]

Continuar a ler

Um Jogo de Ténis contra Neverending Nightmares [parte 3]

4 – 2. E voltamos ao ataque. O protagonista foi desenhado num estilo à la Edward Gorey (imaginem Tim Burton, mas menos “fofo”); como já referi, o jogo todo é a preto e branco. Todo, exceto objetos com os quais se pode interagir, e sangue. Há muito branco, muito preto, muito vermelho, mas pouco do […]

Continuar a ler

Um Jogo de Ténis contra Neverending Nightmares [parte 2]

Vamos regressar e mudar (só um pouco) de tema, não joguei também Retro/Grade, mas pelos vistos quase ninguém jogou, logo não será de estranhar. “Pelos vistos” (de novo) jogo é bom, e “pelos vistos” (mais um) foi um flop. Retro/Grade é o bebé de Matt Gilgenbach, criador de Neverending Nightmares, bebé esse que morreu assim […]

Continuar a ler

[Lisboa Games Week] Lista do balde: pilotar um Lightcycle do Tron – Feito

Como sabem (ou deviam saber se tomassem atenção ao galinheiro) as galinhas andaram feitas doidas pela Lisboa Games Week no passado fim-de-semana. Entre novidades, independentes, jogos de tabuleiro, amigos e cosplayers, era “Todo a 1€”. Que é como quem diz “gratuito mas só para além dos portões”.   Pessoalmente senti-me irresistivelmente atraído até à zona […]

Continuar a ler

[Lisboa Games Week] A conclusão

E uma Passagem do Terror que muitos podem ter ignorado Isto de passar grande parte dos últimos dois anos a analisar videojogos já começa a entrar na minha forma de viver. Quando comecei este artigo chamei-lhe discretamente “A análise”. “Análise”? Sejamos sinceros: qual a estranheza de analisar um evento deste género? Ainda por cima haviam […]

Continuar a ler

Gamergate e Jedis

Boa noite, porque estou a escrever de noite. Vamos falar “do” Gamergate. Ou “da”? Não queremos ser sexistas, não é? Já é um bocado tarde para continuar-se a falar disso, certo? – o assunto está mais ou menos morto – mesmo assim, continuemos; porque é importante; porque na verdade nem está (é uma espécie de […]

Continuar a ler

A Cor Da Maçã Da Árvore Do Não-Sei-Quê

Aqui estão dois links para dois vídeos que achei interessantes: Vejam os dois vídeos e regressem a esta página, ou se gostam como eu de multi-tasking, convido-vos a ler enquanto ouvem. Não sou um fã dos vídeos da Idea Channel, e também não gosto dos vídeos da Extra Credits, mas tenho um enorme respeito por […]

Continuar a ler

As Máquinas de Sonhos

A primeira parte de Dreamfall: Chapters começa uma mulher em coma Dreamfall é uma série de videojogos que começou já em 1999, e cujo mais recente título foi lançado agora, com a ajuda do Kickstarter. Entrar no universo de Ragnar Tørnquist, o seu “autor”, se existe tal coisa, é muito semelhante à sensação de ver […]

Continuar a ler

Quando os históricos lutam por um género

O Rubber Chicken denuncia logo com a sua própria nomenclatura a sua paixão avassaladora por aventuras gráficas. Se a primeira metade dos anos 1990 foram a época áurea do género, e das quais saíram grande parte das séries de sucesso que ainda hoje vivem na nossa memória, o final da década e a explosão do […]

Continuar a ler

Video-storytelling – 2ª parte

Aviso: o texto que se segue vai utilizar exemplos que podem ser considerados spoilers especificamente à trilogia do Mass Effect da Bioware, ao Senhor dos Anéis de J.R.R. Tolkien, bem como a sua adaptação ao cinema de Peter Jackson e à saga de Harry Potter de J.K. Rowling (e/ou à sua adaptação ao cinema). Leram […]

Continuar a ler

Video-storytelling – 1ª parte

Aviso: o texto que se segue vai utilizar exemplos que podem ser considerados spoilers especificamente à trilogia do Mass Effect da Bioware, ao Senhor dos Anéis de J.R.R. Tolkien, bem como a sua adaptação ao cinema de Peter Jackson e à saga de Harry Potter de J.K. Rowling (e/ou à sua adaptação ao cinema). Sou […]

Continuar a ler

O que eu poderia ser se algum dia for grande

Já tantas vezes o Miguel mostrou a sua alegria em receber jogos da Excalibur Publishing, editora especializada em jogos de simulação, que decidimos ir um pouco mais longe e pensar em mundos alternativos em que a nossa carreira teve pequenos desvios e que tivemos de por o pão na mesa ao final do mês com […]

Continuar a ler

Um gamer acidental vai à Gamescom

Um Pokemon Master veterano, alguns analistas e um gamer acidental vão à Gamescom. A frase poderia servir de introdução a uma anedota do tipo “um alemão, um francês e um americano entram num bar”, no entanto, neste caso, não se está a introduzir qualquer chalaça. Esta foi a primeira expressão que me veio à cabeça […]

Continuar a ler

Disgaea 4: falar a sério a brincar

Disgaea: Hour of Darkness abriu caminho para uma série de sucesso que teve bastante aceitação no nosso território. Ainda a viver no período de pós-auge dos JRPGs, que tiveram em Portugal a era da Playstation como uma gigantesca porta de entrada para o mercado oriental, e que teve o seu culminar no (belíssimo) catálogo da […]

Continuar a ler

[Gamescom 2014] Conferência Microsoft: a nossa opinião

Em 2013 a Microsoft decidiu fazer na Gamescom um pequeno evento “à porta fechada” para 100 jornalistas. A presença portuguesa coube-nos a nós num evento que nem sequer tinha streaming para a web. Compreendia-se o porquê. Depois de uma apresentação ao mundo desastrosa, de um evento na E3 2013 que acabou eclipsado pelo da Sony e […]

Continuar a ler

[Gamescom 2014] Conferência EA: a nossa opinião.

Cheira-me que Andrew Wilson nunca teve problemas para engatar miúdas. Aquele olho azul e o look refinado à la George Clooney mostram o que deve ter sido a estrela do liceu e da faculdade, o menino habituado aos sucessos. A Ubisoft usa nas suas conferências uma gaja toda boa que diz que gosta de jogos. A […]

Continuar a ler

You know what really grinds my gears?

Esta foi a reacção quando a Sony anunciou o bundle da PlayStation 4 de cor branca com o jogo Destiny por 399.99€.  

Continuar a ler

[Gamescom 2014] Conferência Sony PlayStation: a nossa opinião

A Sony chegou à Alemanha já de caneca na mão, pronta a fazer a festa com o dinheiro que trazia no bolso, fruto de 10 milhões de consolas PS4 vendidas em menos tempo do que é necessário para conceber e dar ao mundo um bebé. Mas quando criamos um bebé de carne e osso (para […]

Continuar a ler

The Red Solstice: O dia seguinte.

Há uns anos atrás andava eu a passear pelo Bairro Alto numa daquelas noites loucas em que tudo pode acontecer quando fui testemunha de algo que já na altura sabia que ia ter consequências: estava eu para os lados da Rua do Diário de Notícias quando reparei num já muito alcoolizado Dawn of War 2 […]

Continuar a ler

‘Operação Psicadélica’ do Boom devia estender-se à Gamescom

Não é novidade que o Boom Festival acolhe muita gente oriunda dos quatro cantos do mundo e que da fronteira entre Espanha e Portugal consigam esgueirar-se com estupefacientes que nem o aborígene da Amazónia ou o maior freak de Berlim já ouviram falar. De acordo com isto, a GNR lançou este ano a intitulada ‘Operação […]

Continuar a ler

Corrida contra o Espaço

Uma opinião sobre Infinity Runner Estou a ficar velho. Já lá vão 6 anos que saiu Mirror’s Edge (ME). Publicado pela Electronic Arts, ME atingiu-me de repente quando navegava num imberbe Youtube e me deparei com um vídeo dos criadores a promover o mesmo. O jogo saiu umas semanas depois e eu como comprador impulsivo […]

Continuar a ler