RPG casual para as tias jogarem

Um Chicken Nugget a Gunspell

Misturar a casualidade de um match 3 com a (esperada) profundidade de um RPG não é coisa nova. Puzzle Quest já o fazia de forma brilhante e até o dungeon crawling de 100000 conseguia adaptar o tile-matching a um género que à primeira vista é excessivamente distante para que funcionasse. Gunspell, a par dos seus congéneres, poderá ser a forma mais simples de apresentarmos os RPGs por turnos às tias, e quiçá, após dezenas de horas de jogo as comecemos a ver a comprarem “Final Fantasies” e demais JRPGs. Os puzzle RPG têm uma agenda escondida: a de tornar os jantares de Natal em família bem mais divertidos, com avós e netos a discutirem estatísticas de personagens, side quests, itens e boss fights.

f-1417-e148134147

 

Em todos os aspectos se percebe que este Gunspell foi lançado primeiro para o mercado mobile e só posteriormente adaptado para PC. Os seus controlos simples apelam ao toque (não de uma forma sexualizada como é óbvio) e a sua estratégia de multi-moeda denota logo o seu pendor cheio de in-app purchases. É aliás esta faceta que sempre critiquei no mercado móvel e que me parece que deveria ter sido retirado da versão final para PC: não esquecendo que neste caso o jogo é comprado por 12,99 e não inclui qualquer tipo de pagamentos adicionais.

Gunspell é, na prática, o Puzzle Quest num setting contemporâneo. Com um ambiente próximo de World of Darkness, a magia e as criaturas místicas existem no nosso mundo, e pouco há que um tiro certeiro de um revólver não resolva. Um lobisomem? Deixa-me aqui alinhar três caveiras que já vais ver se não te tiramos as pulgas ao tiro. Um kobold que se perdeu ali na esquina do Borderlands? Alinham-se umas runas vermelhas e activa-se a moto-serra. E enviamos-te para Pandora em pedaços.

f-4717-785393151f

 

Não posso dizer que investi tempo a dar atenção à história, mas ela existe no  background do que realmente interessa: o match 3. A magia do jogo reside no espírito altamente casual da componente match 3, e estará a mentir quem disser que joga Gunspell pela profundidade narrativa. O enredo é no fundo a pequena argamassa que justifica a exploração que temos no mapa e a sucessão de combates que vamos disputando.

125688-md-21081-Gunspell_5

 

Gunspell é tão viciante quanto se possa imaginar: rapidamente somos absorvidos na ideia de que vamos “fazer só mais um combate” e quando percebemos já se passaram algumas horas. Sofre de dois problemas distintos: o primeiro, de se assemelhar em excesso a um Puzzle Quest com fantasia contemporânea, e por outro lado pela sua adaptação ao PC trazer ainda alguns resquícios do seu lançamento original, as plataformas mobile. A sua casualidade poderá trazer alguma repetição, o que nos aconselha de imediato a ser algo para se “ir jogando” e não para sessões contínuas de jogo. Ou então convidar as tias para umas batalhas multijogador e perceber se os dedos treinados no Farmville (os delas) são páreo para a nossa experiência. Talvez até fiquemos surpreendidos.

Anúncios

Sobre Ricardo Correia

Criado pelo Dr. Light, sonha todos os dias que lhe ofereçam um Mega Buster como prenda.

Nenhum comentário por enquanto... Seja o primeiro a responder!

Deixem a vossa opinião:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s